Varejo cresce 2,3% em novembro e tem quatro altas consecutivas

ICVA, Índice Cielo do Varejo Ampliado, mostra que varejo no País em novembro foi impulsionado pelas vendas da Black Friday

As vendas do varejo no País cresceram 2,3% em novembro de 2017 em comparação com o mesmo período do ano passado. São quatro meses seguidos de aumento nas receitas.

Os dados são do ICVA, Índice Cielo do Varejo Ampliado, divulgado nesta sexta-feira (15).

Esse crescimento é resultado depois de descontada a inflação aplicada aos setores do varejo ampliado.

Para a Cielo, o desempenho do mês de novembro foi levemente prejudicado pelo calendário, por conta da distribuição dos feriados em dias de semana diferentes de 2016. Ajustados estes efeitos, o índice apontaria uma alta de 2,6%, uma aceleração em relação a outubro na mesma base de comparação (0,7%). A Black Friday foi uma das explicações para esse resultado.

“O ICVA vem evidenciando uma melhora no desempenho do varejo brasileiro. Já estamos no quarto mês consecutivo de crescimento, com cada vez menos setores e regiões apresentando retração”, comenta Gabriel Mariotto, gerente da área de inteligência da empresa de soluções de pagamento Cielo.

Em termos nominais, o ICVA apresentou alta de 3,0% em novembro sobre um ano antes. Descontados os efeitos de calendário, o índice nominal aponta também uma aceleração na passagem de outubro para novembro: de 1,6% para 3,3%, de acordo com o levantamento das receitas de vendas.

Black Friday
A Black Friday vem se consolidando no Brasil, a cada ano, como a data comemorativa que mais cresce em faturamento, na comparação com o ano anterior. As vendas realizadas na sexta-feira de descontos (24/11) apresentaram crescimento de 11,9% em relação à edição de 2016.

Considerando o período entre quinta-feira (23/11) e domingo (26/11), o ICVA nominal registrou crescimento de 8,8% na comparação com o mesmo período do ano passado. Já no E-commerce a performance foi ainda maior, com crescimento nominal de 20,8%.

“Estes resultados da Black Friday contribuíram para alavancar o ICVA de Novembro”, afirma Mariotto.

Inflação
O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apurado em novembro pelo IBGE registrou alta de 2,80% no acumulado dos últimos 12 meses, enquanto outubro havia registrado 2,70%. Esse resultado, assim como aconteceu no mês passado, foi impulsionado pelos preços dos itens do setor de Habitação – que não impactam diretamente o comércio varejista.

Assim, ponderando o IPCA pelos setores e pesos do varejo ampliado, a inflação ficou em 0,7%, uma leve desaceleração em relação a outubro (0,9%).

Setores
Os setores que ainda apresentam retração em relação ao mesmo mês do ano passado já foram minoria em novembro.

O grande destaque positivo de novembro foi o setor de Móveis, Eletro e Lojas de Departamento, que teve alta expressiva e acelerou em relação a outubro. Este resultado foi bastante influenciado pela Black Friday, já que a data tradicionalmente impulsiona vendas de artigos destes setores.

O grupo de setores que comercializam Bens Não Duráveis mostrou de um lado Supermercados e Hipermercados se recuperando bem após um início de ano com desaceleração, e por outro Postos de Combustíveis, que continua com retração, desde o início do ano.

Por fim, o setor de Serviços acelerou na comparação com o mês passado, com destaque positivo para Alimentação – Bares e Restaurantes e Turismo e Transportes.

Regiões
Em novembro, apenas a região Centro-Oeste registrou desaceleração no varejo, medida pelo ICVA deflacionado, de 0,5% em outubro para 0,2% em novembro.

Já o varejo ampliado no Sul e Norte teve alta de 5,0% e 4,9% no período, respectivamente. Já o Nordeste e Sudeste tiveram crescimento de 4,0% e 1,9%.

Pelo ICVA nominal, que não considera o desconto da inflação, o destaque foi para a região Sul que registrou alta de 5,6%. As regiões Nordeste, Norte, Sudeste e Centro-Oeste registraram altas de 4,6%, 4,3%, 2,3% e 1,5%, respectivamente, neste indicador.

Posts Relacionados