Cartão de loja e cartão de crédito são as modalidades mais contratadas após oferta da instituição financeira, mostram SPC BRASIL e CNDL

Pesquisa do SPC Brasil e da CNDL mostra que metade dos consumidores com essa modalidade de crédito só contratou o serviço quando acionados pelas redes.

O varejo que trabalha com private label ou co-branded tem espaço no bolso dos consumidores. Isso porque 40% dos brasileiros possuem essa modalidade de crédito, segundo mostrou dados do SPC Brasil e da CNDL.

O cartão de loja só perde para os cartões de crédito, modalidade contratada por 60% dos brasileiros. Outros 26% possuem crediário ou carnê entre as modalidades contratadas.

Uma das justificativas para o crescimento dessas modalidades é a facilidade de contratação que, neste caso, pouco foi abalada. Para se ter uma ideia, 50% dos brasileiros que possuem cartão de loja só contrataram a modalidade após ofertas das instituições.

Essa facilidade, contudo, esconde riscos, segundo o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli. “O consumidor deve desconfiar de todas as formas fáceis de crédito, inclusive os pré-aprovados, pois quanto mais fácil for o acesso, mais altos tendem a ser os juros cobrados nas operações. A princípio tudo parece simples e sem custo, mas uma hora a conta chega para pagar”, explicou.

Modalidades

O levantamento também mostra que, entre os que tomaram empréstimo consignado, 76% solicitou â instituição financeira, assim como o financiamento (71%), empréstimo pessoal (69%), crediários (48%) e cheque pré-datado (48%).

De acordo com os dados da pesquisa, o empréstimo pessoal é a modalidade que mais deixa os brasileiros com o nome sujo: entre os que tomaram empréstimos pessoais em financeiras, 23% estão com o nome sujo por causa do serviço; já entre os que tomaram empréstimo em financeira, esse percentual foi de 18%. Em seguida, aparecem o financiamento (14%) e os gastos com crediário e carnê (13%).

Posts Relacionados