Empresas com contas atrasadas registram menor índice desde 2011

Estimativa mostra que falta de crédito e menor vontade em sanar as dívidas são os principais motivos para as contas atrasadas.

A quantidade de empresas com contas atrasadas atingiu 3,35% em maio, em comparado com o mesmo mês do ano anterior. O número é o menor para os meses de maio desde 2011, ano de início da série histórica, e corresponde apenas as empresas com atrasos registrados no cadastro de devedores.

Os dados foram calculados pelo SPC Brasil e pela CNDL. Para os organizadores, o aumento das empresas negativadas observado nos últimos meses acontece devido a falta de crédito e menor propensão a aplicar em investimentos que trazem redução do endividamento.

“Para os próximos meses, espera-se que a atividade econômica se mantenha fraca e os empresários permaneçam cautelosos devido ao cenário de grande incerteza política, o que deve manter o crescimento da inadimplência das empresas em patamares discretos frente à série histórica como um todo”, explicou por nota Honório Pinheiro, presidente da CNDL.

Região

Os estados do Nordeste continuam liderando o crescimento da inadimplência das empresas. Em comparação com maio de 2016, este ano o índice cresceu 4,53% e se tornou a maior alta entre as regiões.

As regiões Norte (3,67%), Sudeste (3,40%), Centro-oeste (3,01%) e Sul (0,90%) completam a lista na mesma base de comparação.

Segmentos

O ramo de serviços foi o que mais teve devedores em maio deste ano, com 6,31% de inadimplentes. Agricultura (5,23%), indústria (2,72%) e comércio (1,90%) também estão na lista.
Em relação ao credor, ou seja, para quem as empresas estão devendo, as empresas do ramo do comércio que foram as mais prejudicadas, seguida das indústrias.

Postagens Relacionadas