Dólar passa a operar em queda com dados positivos da China

O dólar não sustentou a alta do começo do pregão e passou a cair frente ao real nesta terça-feira (3), diante de dados favoráveis da China que animavam os investidores pela perspectiva de melhora na economia global e devolvendo parte dos ganhos da véspera, quando subiu 1%, segundo a Reuters.

Às 11h09, a moeda norte-americana caía 0,427%, vendida a R$ 3,2678. Veja a cotação hoje.

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h30, alta de 0,1%, a R$ 3,2852
Às 10h10, queda de 0,37%, a R$ 3,2695
Às 10h39, queda de 0,43%. a R$ 3,2677

“Os dados positivos da China ajudam o Brasil, sobretudo nas exportações. Os números da balança comercial também vieram bons”, afirmou o sócio-gestor da gestora Leme Investimentos, Paulo Petrassi.

Com a alta das exportações, mais dólares entram no país, ampliando a oferta de moeda e, consequentemente, reduzindo o preço.

A atividade industrial da China expandiu mais do que o esperado em dezembro diante da demanda acelerando, com a produção alcançando a máxima em quase seis anos, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit.

Na véspera, foi divulgado que a balança comercial brasileira encerrou 2016 com superávit recorde de US$ 47,692 bilhões.

A moeda norte-americana chegou a abrir em alta neste pregão, acompanhando o cenário internacional e chegando à máxima do dia de R$ 3,2931, segundo a Reuters, mas inverteu a tendência. O dólar saltava mais de 1% frente a uma cesta de moedas nesta manhã, chegando a bater a máxima de seis dias.

De acordo com a Reuters, os mercados voltam as atenções para a divulgação, na quarta-feira, da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve, em que o banco central norte-americano elevou a taxa de juros em 0,25 ponto percentual e sinalizou ritmo mais rápido de altas em 2017.

Na véspera, o dólar fechou com avanço de 0,99%, vendido a R$ 3,2818.

O Banco Central brasileiro não anunciou nenhuma intervenção no mercado de câmbio por enquanto, estando fora desde 13 de dezembro, segundo a Reuters.

Posts Relacionados