CDL realiza Pesquisa de Intenção de Compras para o Natal

A pesquisa foi realizada no período de 18 a 22 de novembro de 2016, com uma amostra aleatória de 400 consumidores. A metodologia adotada para escolha total da amostra apresenta um índice de confiança de 95% e um erro amostral de 4,33%.

Dados levantados em pesquisa de Intenção de Compras.

Intenção de presentear no Natal: 21% dos entrevistados pretendem presentear os filhos, 20% presentearão o cônjuge, 19% o pai ou a mãe, 16% o(s) neto(s), 11% o(a) namorado(a), 2% os sobrinhos, 1% os avós, 5%, outros familiares e apenas 5% não pretendem presentear ninguém.

Pretensão de gastos com presentes: 6% dos consumidores pretendem gastar entre R$20,01 e R$50,00, 1% gastará entre R$50,01 e R$100,00, 31% irá gastar entre R$100,01 e R$200,00, 26% entre R$200,00 e R$300,00, e, 30% pretendem gastar mais de R$300,00. 6% ainda não sabem o quanto gastar. A média geral de gastos é de aproximadamente R$348,00, salientando que no natal a média é mais alta que em outras datas, uma vez que há maior volume de dinheiro em circulação (13º salário).

Tipo de presente: Dos entrevistados, 43% presentearão com itens de vestuário; 21% com calçados; 16% – com brinquedos; 10% com celulares e outros eletrônicos, 2% com viagens 1% com dinheiro e 3% com outros tipos de presentes. Os indecisos quanto ao presente perfazem 4% dos entrevistados.

Local de Compra: Quanto ao local de compra do presente, 66% pretendem comprar o presente em lojas tradicionais; 18% – em shoppings; 11% em camelódromos; 2% pretendem comprar em galerias, e 3% em outro lugar, sobretudo na internet.

Forma de pagamento: A forma de pagamento e muito importante para o lojista planejar sua política de caixa e a pesquisa detectou que 46% pretendem pagar o presente em dinheiro; 29% usarão cartões de crédito, 20% usarão cartão de lojas; e apenas 5% recorrerão ao crediário.

O que os anapolinos gostariam de ganhar: As viagens dominam os desejos de presente, com 34%, 27% pretendem ganhar calçados, 15% querem ganhar roupas, 12% – brinquedos, 5% eletrônicos ou celulares, 2% querem ganhar dinheiro e 5% se sentiriam felizes com qualquer coisa.

Fazendo-se um comparativo entre a média geral de gastos de 2016 com a de 2015, verifica-se um acréscimo aproximado de 5% entre um ano e outro, passando de aproximadamente R$331,00 em 2015, para R$348,00 em 2016.

Posts Relacionados