5 fatos sobre a BLACK FRIDAY que você precisa saber e o google conta

A gigante de tecnologia estima um crescimento de 20% no faturamento da Black Friday. Veja o que é importante saber sobre a data.

A Black Friday já entrou para o calendário de compras do consumidor e isso dificilmente tem volta. “A imagem de Black Fraude ficou para trás”, afirma Carol Rocha, gerente de Insights do Google. Ela apresentou pesquisa da
gigante de tecnologia sobre a data e mostrou que o período de promoções tem se consolidado no País.

Essa confiança maior na data pode ser vista em números. De acordo com o Google, 55% dos consumidores pesquisados consideram a data positiva e apenas 8% relacionam a data a palavras negativas.

No ano passado, a Black Friday registrou um faturamento de R$ 1,9 bilhão. A estimativa que esse número cresça neste ano em 20%, para em torno de R$ 2,2 bilhões, segundo os dados do Google.

O interesse maior das pessoas pela data é o que tem impulsionado o crescimento. As buscas sobre quando é o evento no Google cresceram 46% nos primeiros sete meses deste ano, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Além disso, a intenção de compra na data cresceu: considerando os consumidores pesquisados, 68% pretendem comprar algo na Black Friday, contra 61%. Mas as oportunidades são ainda maiores, uma vez que apenas 2% deram a certa de que não vão comprar nada. “É uma data que gera expectativa e para conseguir chamar a atenção do consumidor é preciso firmar na cabeça dele três pontos: preço, condição e experiência”, afirma a executiva.

Outro fator associado ao crescimento das vendas na data é a ampliação das categorias pesquisadas: são mais pessoas comprando mais coisas – o que gera oportunidades para varejistas de todos os portes, principalmente na internet. Na sexta-feira promocional de 2016, os grandes sites cresceram 134%. Contudo, os sites menores registraram um crescimento de 161%.

“Muitas marcas podem crescer e podem crescer de maneira agressiva e isso acontece para diversos setores, como turismo, automotivo. Durante esse período, tudo se aquece. O consumidor já entende que existem várias possibilidades de negócios interessantes durante o período”, afirma Carol.

O que você precisa saber

Para aproveitar as oportunidades da Black Friday, a pesquisa do Google concluiu que existem algumas verdades sobre a data que você precisa saber.

1. A data já está na cabeça do brasileiro

Segundo os dados da pesquisa, 71% dos pesquisados já comprou alguma vez na Black Friday. Para este ano, estima-se que 370 mil pessoas vão comprar online pela primeira vez justamente na Black Friday. O número de consumidores que disseram que certamente comprarão na data passou de 20% em 2016 para 33% agora.

2. A Black Friday está crescendo para todo mundo

Agora, varejistas online, de pequeno e grande porte, e físicos participam da data. Em 2012, a Black Friday contava com a participação de 100 lojas de e-commerce e 22 mil lojas físicas. No ano passado, mais de mil e-commerces
participaram da data e mais de 43 mil lojas físicas também.

E os segmentos são os mais diversos. Para se ter uma ideia, as buscas por itens como carrinho de bebê no período crescem 106%. Há quem busque ofertas para Whisky e até pneus – as buscas desses itens crescem 166% e 155% no
período promocional.

3. Black week, Black month

A Black Friday deixou de acontecer apenas na sexta-feira. Ela está ampliada e há quem promova um mês inteiro de promoções. No ano passado, 60% do faturamento da data se concentrou no período entre quinta e sexta-feira. Contudo, 16% das vendas ocorreram entre segunda e quinta-feira. E outros 5% aconteceram entre sábado e segunda-feira. Isso mostra a extensão da data.

4. Não é só preço que conta

Outro ponto importante sobre a data que pode gerar oportunidades para o varejo é o que motiva os consumidores a comprarem em uma loja e não em outra. Evidente, preço conta, mas para apenas 49% dos pesquisados.

A pesquisa mostra que a confiança na loja e na marca também tem peso para 27% e 13% dos pesquisados, respectivamente. Frete (5%), Pagamento parcelado (3%) e Tempo de entrega (2%) também pesam para a escolha dos consumidores.

5. O varejo físico também participa

Já tem algum tempo que a Black Friday saiu da internet e foi para o varejo de rua. E essa tendência se consolidará ainda mais neste ano. As vendas das lojas físicas aumentaram 11% na sexta-feira promocional de 2016 em relação a uma sexta-feira comum.

O que o Google percebeu é que as buscas pelas promoções da Black Friday acontecem na internet, mas vão para as lojas físicas. Se beneficia as redes que contam com a integração de canais, como um serviço de comprar pela internet e retirar o produto na loja.

Posts Relacionados